segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Clubes de Corrida

Grande Lisboa e arredores 

Nike+ Run Club Lisboa

Treinos semanais cada quinta-feira às 20h na Nike Store Lisboa Chiado. 




Correr na Cidade  

Treinos semanais cada quinta-feira a começarem entre as 19h e as 20h30 com vários pontos de encontro.



A Hora do Esquilo

A hora do esquilo é um treino de amigos que se encontram todos os dias da semana às 6 da manhã, em Monsanto, para corrida livre.



Treinos Lunares 

Os treinos ocorrem nas marés vivas quando ocorrem com as Luas Novas e com as Luas Cheias, mais ou menos de quinze em quinze dias.  O local de partida é o final do pontão (Praia Nova) em direcção à Fonte da Telha, na Costa da Caparica às 20h30.



Correr Lisboa

Os treinos ocorrem todas as terças-feiras às 19h15 com partida no Estádio Universitário de Lisboa.

Site


Run4Fun

Grupo de corrida que correm no Parque das Nações 3ª e 5ª feiras pelas 19h30, Sábados e Domingos pelas 10h15 com o ponto de encontro no Passeio dos Heróis do Mar.
Outro ponto de encontro é em Belém, frente ao Restaurante Vela Latina 5ª feira às 20h00 e Sabádo às 20h. 



Prorunner

Treinos a começarem às 10h30? em frente à loja Prorunner todos os sábados de manhã.


Quartos Lunares 

Inspirados nos Treinos Lunares do Paulo Pires, estes realizam-se no quarto minguante e no crescente da Lua, às 20h30 em Covas de Ferro. 


Trail da Salmandra

Todas as quintas feiras em Sintra às 21h. 





Se conhecerem mais grupos e/ou grupos de corrida façam favor de dizer, que eu edito e coloco os que faltam. 

sábado, 9 de agosto de 2014

II Corrida dos Montes Saloios - 26 de Julho de 2014

Tive conhecimento desta prova em cima da hora e aproveitei para convidar o Miguel B. e o Paulo. Já tinha estado no III Trail dos Montes Saloios em Fevereiro, no dia da tempestade Stephanie. Sabia que a zona era quase toda a subir e a descer, portanto seria um bom desafio. Nessa manhã tinha estado num treino da loja ProRunner, fui num ritmo calmo para perfazer os 10km do treino. Fomos com algum tempo de antecedência para levantar os dorsais e comer algo antes da prova. No entanto verificámos que a minha inscrição não tinha sido efectuada... Deveu-se a um mal entendido, eu pensei que o Miguel nos tinha inscrito a todos, quando afinal ele tinha feito apenas duas inscrições. Felizmente pude inscrever-me localmente e participar na prova. Comentámos que a prova seria dura com bastantes subidas. Depois de me inscrever fomos até um café comer algo, como faltava algum tempo antes da partida, tivemos oportunidade de assistir a um torneio de futsal feminino que estava a decorrer no pavilhão. Cerca de 30 minutos antes do inicio da prova, fui equipar-me no carro, depois realizámos um pequeno aquecimento. Após o aquecimento colocámo-nos no meio do pelotão e lá arrancámos. 




Como sabia que era a descer logo ao inicio da prova, arranquei a todo gás para ganhar uns segundos preciosos e algumas posições. Só para terem a noção da descida inicial, fiz o 1 km a 3m49s! A descida terminou praticamente ao 2 km, este foi feito a 4m04s. Surgiu a primeira de várias subidas que tivemos que enfrentar, consegui manter-me com um bom ritmo e concluir o 3 km a 4m56s. Surge uma nova descida onde acelerei e terminando o 4 km em 3m50s. A partir deste 4 km e até ao final a prova começaria a subir, assim como os meus tempos ao km consecutivamente até ao final. Em duas situações, dois atletas passaram por mim e foram falando comigo e dando-me força não só verbalmente mas fisicamente já que correram ao meu lado durante alguns minutos. Tivemos o abastecimento liquido sensivelmente ao 6 km, pude despejar alguma água em cima da cabeça, pescoço e beber água. Foi feito também um controlo de tempo ao 6.7km, marquei 28m54s. 





Comecei a sentir alguns dificuldades, mas o apoio das populações locais deu-me alguma força anímica para continuar sem baixar muito mais o ritmo. Do 7 km até ao final foi sempre a subir e as dificuldades ainda apertaram mais quando no último km tivemos a subida mais acentuada de todas. Consegui ainda ultrapassar um atleta nessa subida porque reconheci o local e sabia que estávamos a terminar. 




Terminei a prova com um tempo oficial de 49m01s e tempo de chip de 48m53s. Terminei classificado em 40º em 111 atletas que terminaram a prova. No meu escalão de sénior masculino terminei num honroso 10º lugar! O meu ritmo médio foi de 4m32s. No final tivemos um buffet de fruta e água o que soube bastante bem para recuperar! O Paulo terminou a sua prova com 54m00 e o Miguel com 58m26s. Gostámos bastante da prova com toda a sua envolvência da população local, do percurso e o buffet de fruta no final. 






segunda-feira, 4 de agosto de 2014

domingo, 3 de agosto de 2014

Ultra Trail Monte da Lua - 19 de Julho de 2014

Oficialmente esta seria apenas a minha 2ª Ultra Maratona (Ultra Trail de Sesimbra e  Ultra Trail Monte da Lua), no entanto foi a minha 3ª, visto que os Trilhos do Almourol que tiveram 45km em vez de 42km.  Mais uma vez a dupla R&S (Rui e Sílvio) manteve-se junta até ao final da prova.  A partida para a prova foi na Praia das Maçãs, depois do levantamento dos dorsais aprontámos os últimos pormenores no equipamento e conhecer o Filipe Torres
Depois de um elemento da organização ter feito um briefing lá foi dado o sinal de partida, fomos com muita calma para não encher os pés de areia logo ao inicio. Evitámos um pequeno curso de água e começámos logo a subir a arriba. Durante alguns minutos apanhámos alguma chuva miudinha, mas nada que nos deixasse muito molhados. O tempo estava fresco o que era um grande trunfo para uma prova deste tipo.


Depois de cerca de 3 km chegámos até um pequeno ribeiro onde tivemos parados praticamente 5 minutos. Conseguimos evitar molhar os pés, mais uma vez e seguimos. Fomos entrando cada vez mais na mística e mágica Serra de Sintra, passando por bairros e ruelas muito engraçadas. Fomos sempre subindo pela serra a cima até ao 10 km. Nas subidas mais acentuados eu e o Rui seguíamos sempre a caminhar, para nos poupar para as parte mais difíceis e técnicas que estavam ainda para vir.  Depois do 10 km e até cerca do 12 km altura para descer um pouco na serra. Surge uma nova rampa que facilmente é ultrapassada para de seguida voltarmos a descer durante cerca de 2 km quase até ao abastecimento que estava situado praticamente me cima do 17 km. O abastecimento tinha banana, amendoins, batatas fritas, marmelada, tomate com sal e outros salgados para além de água e Coca Cola que nem cheguei a beber porque estava ainda dentro da viatura da organização. Já reabastecidos preparamo-nos para "atacar" uma subida em pedra extremamente íngreme com uma extensão de quase 2 km. Felizmente essa subida foi compensada com a visita à maravilhosa e linda Quinta da Regaleira




Como nunca tinha estado neste local parecia uma criança a abrir uma prenda no Natal! Fiquei maravilhado e com vontade de voltar lá para poder explorar e ver a quinta com mais calma e atenção. Tivemos a oportunidade de descer o Poço Iniciático e foi como se tivesse entrado noutra dimensão! Adorei! Já no final, nos túneis houve a necessidade de iluminar com a luz do telemóvel devido à escuridão total. Quando saímos tivemos a fantástica vista que uma imagem vale mais do que mil palavras. 





Fotos "surrupidadas" do blogue da Menina 

Depois de sairmos da Quinta da Regaleira parecia que estava completamente restabelecido sem cansaço algum. A ida à Quinta foi um dos pontos altos da prova. Passado mais ou menos 1 km "atacamos" o Castelo dos Mouros para tentar conquistar a colossal parede que o protegia, uma escalada dificílima com degraus à mistura e subida de pedras. Neste período comecei a transpirar imenso, o suor corria-me de fio da cabeça. Demorámos cerca de 10 minutos para conseguir chegar ao ponto mais alto, ainda que não tivéssemos chegado ao Castelo dos Mouros.  A prova passou depois numa propriedade privada com uma mansão linda, completamente abandonada e degradada, entre o 23km e 24km. O percurso seguia inclusive por dentro desta mansão. Seguimos tranquilamente por umas descidas fáceis e estradões compridos e largos até ao segundo abastecimento, na Lagoa Azul, que era apenas abastecimento de líquidos, ao 29km  Sentimos necessidade de comer algo, felizmente o Rui levava umas belas sandes de presunto com pão de cereais.  Mais uma vez a paisagem na Lagoa Azul era deslumbrante. A parte que se seguiu foi das mais difíceis que tivemos de enfrentar a subida do trilho das Pontes e a subida do Monge. Precisámos de 1 hora para fazer apenas 4 km! E muita mossa fizeram esses 4 km, que quando cheguei ao topo (437m em relação ao nível do mar) estava exausto e sem fôlego. Consegui distrair-me um pouco com a paisagem no trilho das Pontes, mas quando cheguei à parte do Monge fui-me abaixo a nível psicológico devido à dureza da subida. Seguimos a rolar devagar até ao terceiro abastecimento, sólido desta vez que se situava na fonte das Pedras Irmãs. Neste período começou a chover, o que até foi bom, para arrefecer o corpo e ficar com um novo estado de espírito. Voltei a comer tomate com sal, salgados e fruta e bebi água. Depois de uns minutos a comer, beber e conversar seguimos por uma zona muito bonita que e gostei bastante, uma zona a descer com árvores espaçadas mas que por cima cobriam o céu. Depois de um carrossel num constante sobe e desce (subimos mais do que descemos) chegámos até Anta de Andrenunes  um aglomerado de pedras. Nesta parte da prova saímos da floresta e a vegetação começou a ser mais rasteira. Fomos descendo gradualmente até à Azóia, esta parte do percurso reconheci-o devido ao GP Fim da Europa . Começámos a descer até ao mar, a descida e posterior subida desta arriba até ao farol foram MASSACRANTES! O grau de dificuldade nesta parte foi muito elevado devido a:  inclinação, ser muito técnica com pedras soltas e rolantes, o calor tórrido que já se fazia sentir e nós em qualquer tipo de sombra. Depois do massacre, houve um senhor estrangeiro que perguntou ao Rui qual era a extensão da prova e ficou impressionado com a resposta, 53km! Chegámos finalmente ao 4º e ultimo abastecimento, liquido apenas. Aproveitei para entornar água pela cabeça a baixo porque estava cheio de calor e muito suado. Seguimos, já bastante cansados e quando apanhámos o carrossel triplo foi o "fim da picada". Tivemos que subir e descer três vezes escarpas com subidas de meter respeito que faziam sombra às anteriores. Neste período comecei a ficar irritado e muitos nomes chamei à organização naquele período. Já quase nem conseguia correr. Nesta parte da prova, com a subida e descida constante das arribas vimos bombeiros que estavam apenas a treinar numa falésia e nem um único bombeiro, elemento da protecção civil ou da organização. Na minha opinião tinha que haver pelo menos uma ambulância ou um carro dos bombeiros devido à perigosidade desta parte da prova. Não contentes com o massacre das arribas a organização brinda-nos com areia! Eu detesto correr em areia! Ainda por cima com uma subida, na zona da praia da Adraga. Nesta parte da prova desisti de correr e limitei-me a caminhar. Quando chegámos à zona da Praia Grande senti-me um pouco melhor e lá fomos numa corrida lenta arrastando-nos com a paisagem a ser deslumbrante e nós sem pachorra para a admirar. Começámos a ver uma zona conhecida e começámos a correr para finalmente descermos a arriba que tivemos que escalar logo no inicio da prova. Mais uns metros de areia e finalmente a meta! Na meta estava o grande Luís Mota para nos aplaudir e cumprimentar, que terminou em 3º lugar com 5h28m. Esteve ali mais 3h para cumprimentar os atletas que chegaram! Terminámos a prova com 8h49m. Terminámos classificados em 86º (Rui) e 87º em 127 atletas que chegaram ao final. Depois de passarmos a linha de meta, colocaram-nos a medalha ao pescoço e fomos até uma tenda para reabastecermos. Passados uns minutos chegou a Menina, numa excelente prova que realizou! O video que se segue é da autoria do Rui em mais um excelente trabalho de filmagem e edição do mesmo.



Com o calor que se fez sentir decidimos ir dar um mergulho na praia e que bem que soube! Foi uma prova dura com passagens por pontos lindos! 

Pontos Negativos

  • Falta de elementos de segurança na parte mais critica e difícil da prova
  • Poucos abastecimentos 
  • Inscrição cara



Pontos Positivos

  • Excelentes marcações, provavelmente a melhor prova em termos de marcações que tive oportunidade de encontrar
  • Passagem na Quinta da Regaleira, Cabo da Roca, Lagoa Azul, Castelo dos Mouros
  • A mística e mágica Serra de Sintra 
O balanço da prova, que faço, é extremamente positivo. Obrigado Rui, pela companhia!